quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Por que voto em Dilma





A vida é de escolha. Você escolhe carro, casa, namorada, mulher, sapato, perfume, sabonete, escola, telefone, bar, restaurante. Na política também é assim. Você tem que fazer escolha.

Avizinha-se daqui a poucas semanas uma eleição que você vai ter que escolher. A decisão é sua. Se quer voltar ao passado ou se quer avançar e aprofundar os avanços já ocorridos nesses 12 anos do governo do PT.

Eu já fiz a minha escolha. E não foi uma Escolha de Sofia, como a do livro clássico de William Styron.A minha escolha é boa, sem essa de escolher a menos ruim.

Eu escolhi votar em Dilma. E por que votar em Dilma?

Dilma é a única que representa o aprofundamento das conquistas sociais e econômicas iniciadas no governo Lula. O outro candidato não representa isso, por mais que ele se esforce.

Eu poderia citar inúmeras razões para votar em Dilma, mas me contento em algumas, que entendo ser bastante para demonstrar o quanto ela é a melhor escolha.

Não posso, não devo deixar que programas como o SAMU, que salvou a vida de muitos brasileiros, as UPAS, que melhorou e muito o atendimento médico da população (aliás, é importante dizer que, ao contrário do que vivia dizendo o ex-governador de Pernambuco, os recursos destinados às UPAS são 100% do governo federal), o Bolsa Família, que tirou muitos brasileiros da miséria extrema, além de ter fortalecido o comércio das pequenas cidades, o FIES, que inseriu milhões de jovens nas universidades, o PROUNI, que fez com que milhões de jovens pobres tivessem acesso também às universidades privadas, o Mais Médicos, que vem atendendo seres humanos que que só conheciam um médico através da televisão, jornais e revistas, aliás, muito deles sequer conheciam, o PRONATEC, que inseriu no ensino técnico milhões de brasileiros, que nunca sonharam em ter um curso técnico, o Caminho da Escola, que fez com que milhares de estudantes dos rincões deste país pudessem ir ás aulas de ônibus, e não a pé, de jumento, bicicleta, de carro de mão como era antigamente, sofram solução de continuidade ou mesmo sejam extintos.



Não posso, não devo deixar de votar num governo que ampliou o número de matriculas nas universalidades federais, construiu centenas de universidades pública e descentralizou vários campis universitários, a começar por Pernambuco, que teve o privilégio de ter campis da UFRP e UFPE em várias cidades do Sertão e Agreste de Pernambuco. Tempos atrás, um estudante que morasse em Caruaru, Garanhuns, Petrolina, Serra Talhada teria que se deslocar até o Recife para fazer um curso de Medicina, Direito. Hoje, graças a Lula e Dilma, isso não ocorre mais.


Não posso, não devo abrir mão de um país que voltou a ser “gente” no cenário internacional, cujo governo fala grosso com os EUA, com a Inglaterra e outras grandes potências mundiais, cujo governo exerce sua soberania com altivez, sem se apequenar diante deles, cujo governo optou por manter relações diplomáticas e econômicas com nossos vizinhos da América do Sul, continente que serviu por anos como quintal dos EUA, Inglaterra e afins, como está escrito no livro As Veias Abertas da América Latina, de Eduardo Galeano.



Não quero ver mais o meu país de pires nas mãos mendigando no FMI, no Clube de Paris, ao contrário, quero ver meu país como credor do FMI.Não há mais espaço para tamanha subserviência. O outro lado quer, aliás, o sonho deles é que isso volte a ocorrer, o povo brasileiro, não. Fora FMI e o Clube de Paris!

Não quero mais ver no meu país desemprego alto, inflação galopante, juros estratosféricos (no governo FHC os juros chegaram a 45%), arrocho salarial, do servidor púbico e da iniciativa privada, déficit na balança comercial, sem reservas internacionais, devendo aos agiotas internacionais,

Não quero que meu Estado(Pernambuco) seja renegado novamente a um segundo plano. O povo grato deste Estado sabe muito bem que Pernambuco é hoje o que é graças ao governo Lula/Dilma. Se não fossem os grandes investimentos, as grandes obras, as altas somas de recursos enviados para cá Pernambuco ainda estaria no Período da Pedra Lascada. Infelizmente, um bando de pilantras, cafajeste se apropriaram das coisas que o governo federal enviou para cá.

Não quero mais ver uma Polícia Federal, um procurador Geral da República arquivando e engavetando todos os malfeitos do governo de plantão, uma CGU sem punir ninguém, fatos esses ocorrido nos governos passados. Quero, sim, ver esses órgãos independentes, prendendo, fiscalizando e denunciando corruptos, independentemente de filiação partidária.

Não posso deixar de votar numa presidente que realizou, independentemente do resultado final, a Copa das Copas, conforme atestaram jogadores, turistas, jornalistas do mundo inteiro, que ficaram boquiabertos com a performance do Brasil.

É por essa e outras razões que eu voto em Dilma.


Não quero com isso dizer que o brasileiro vive em Céu de brigadeiro. Não é isso. Reconheço que o governo Dilma, assim como o de Lula, tem grandes defeitos, que precisam, urgentemente, ser melhorados. Mas, seguramente, é um governo muito melhor que o de 12 anos atrás. Não tem comparação.

Um comentário:

Carlos Serafim disse...

Com certeza, não estamos AINDA em céu de Brigadeiro, mas chegaremos lá. A propósito, não podemos deixar em hipótese alguma que o BRIGADEIRO DE CLÁUDIO E MONTEZUMA naveguem sem turbulências, muitas turbulências, ou melhor, nem navegar.