sábado, 7 de junho de 2014

A aliança açaí-tapioca está virando pó



247 - A ex-senadora Marina Silva criou mais um problema para o presidenciável Eduardo Campos, do PSB. Em nota, divulgada neste sábado, ela acaba de anunciar que a Rede não seguirá a aliança entre o PSB e o governador Geraldo Alckmin, do PSDB, em São Paulo. O acordo foi fechado nesta sexta e deve fazer com que o deputado Marcio França (PSDB-SP) seja candidato a vice ou ao Senado na chapa tucana. Leia, abaixo, a nota de Marina:
Nota sobre a decisão do diretório do PSB de SP de apoiar o projeto político do PSDB no estado

Juntamente com todos os integrantes da Rede Sustentabilidade, discordo da indicação aprovada ontem na reunião do diretório estadual do PSB de São Paulo de apoiar o projeto político do PSDB. Para nós, isso é um equívoco. Consideramos necessário manter independência e lançar uma candidatura própria, que dê suporte ao projeto de mudança para o Brasil liderado por Eduardo Campos, e que dê ao povo de São Paulo a chance de fazer essa mudança também no âmbito estadual.

A Rede Sustentabilidade não seguirá essa indicação. Em todo o país, estamos debatendo o assunto e apoiando nossos companheiros de São Paulo na busca de uma alternativa que supere a velha polarização PT-PSDB, e que proporcione apoio efetivo à candidatura de Eduardo Campos, que demonstre uma nova forma de fazer política e, principalmente, que represente os ideais de democracia e sustentabilidade expressos no programa de nossa Aliança.

Esperamos que os companheiros do PSB, em sua convenção estadual, não levem adiante essa proposta. Nesse sentido, manteremos o diálogo aberto e respeitoso. Mas, desde já, deixamos clara nossa posição de que, caso essa indicação não seja revertida, seguiremos caminho próprio e independente em São Paulo. 

A nova força política que emerge no Brasil, interpretando o desejo de mudança tantas vezes manifestado por milhões de pessoas, encontrará também em São Paulo sua legítima expressão.

Marina Silva

4 comentários:

Unknown disse...

Então Marina, vc pensa que é fácil. Agora vê-se que as vezes tetamos independência mas as alianças são muito frágeis. Boa sorte.
Fátima Bezerra.

João Paulo Ferreira de Assis disse...

Aqui em Minas o PSB deverá lançar candidato a governador, o médico sanitarista Apolo Heringer Lisboa, que foi Professor da Presidenta Dilma. Com isso a aliança tucana fica desfalcada de mais esse apoio.

Em 1982 eu votei numa chapa toda do PT, Sandra Starling para governador, Joaquim Oliveira para senador, Élcio Reis para deputado estadual e Apolo Heringer Lisboa para federal. Perdi todos os meus votos.

marcosreis aurelio disse...

Como a Luiza Helena agora é a vez de Marina ser passada para traz, nao levarem em consideraçao seu apito. portanto ela pode apitar o quanto quizer que Eduardo Campos ta nem ai. Infelizmente a Senhora Marina deixou o lar do PT pára cair no laço da corrupçao. e ai esta o resultado. ela sem vez e sem voz.

henrique de oliveira disse...

Nova politica com Bornhausem , Aécio?
E tem mais a tal Rede nem existe.