sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Não deu no JN:Brasil não confia na mídia



Pesquisa da Fundação Getúlio Vargas divulgada nesta semana - mas não na grande mídia - revela que a imprensa perde sua credibilidade a cada dia; segundo a mostra, nada menos que 71% dos brasileiros desconfiam das emissoras de TV, enquanto 62% não confiam na imprensa escrita do País; dados que constam do 7º Anuário do Fórum Brasileiro de Segurança Pública comprovam que os leitores e os telespectadores brasileiros não aceitam mais ser enganados pelos grandes veículos de comunicação


247 – "A imprensa muitas vezes age como se fosse um partido político, só não tem coragem de dizer que é". A declaração foi do ex-presidente Lula no dia 16 de outubro, durante um evento em Buenos Aires, na Argentina. E diz muita coisa. Ao defender os seus interesses, e não o dos brasileiros, a grande imprensa provoca desconfiança de seus leitores, telespectadores, ouvintes. E a credibilidade vai se perdendo a cada dia.

Edição247-Divulgação:


Uma pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas, e divulgada na última quarta-feira – claro, não na própria mídia – revela que 71% dos brasileiros não confiam nas emissoras de televisão do País. A desconfiança em relação à imprensa escrita é de 62%. Os dados, que constam do 7º Anuário do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, e que também aborda outras instituições, como a polícia, mostra simplesmente que os brasileiros não aceitam mais serem enganados pelos grandes grupos de comunicação.

Leia abaixo reportagem do jornal Brasil de Fato sobre a pesquisa:

71% dos brasileiros não confiam nas TVs e 62% nos jornais
Os dados foram produzidos a partir da pesquisa índice de Confiança na Justiça Brasileira (ICJBrasil), da Escola de Direito da Fundação Getúlio Vargas (FGV) de São Paulo, e fazem parte do Anuário

07/11/2013

Da Agência FEM-CUT/SP

Uma pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas divulgada na quarta-feira (5), mostrou que a imprensa está perdendo, a cada dia, a credibilidade. Componente do 7º Anuário do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, a pesquisa mostrou que é alta a desconfiança em relação aos meios de comunicação: TVs não têm a confiança de 71%, percentual maior que a polícia (70,1%) e a imprensa escrita (62%).

No primeiro semestre de 2013, a instituição da qual a população mais desconfiava eram os partidos políticos (95,1% dos brasileiros desconfiam), seguida do Congresso Nacional (81,5%). Com índice melhor que as polícias, aparecem a Igreja Católica (50,3% desconfiam) e as Forças Armadas (34,6%).
Os dados foram produzidos a partir da pesquisa índice de Confiança na Justiça Brasileira (ICJBrasil), da Escola de Direito da Fundação Getúlio Vargas (FGV) de São Paulo, e fazem parte do Anuário. Foram coletados junto a 3.300 brasileiros de oito estados brasileiros por semestre.

O Anuário selecionou, da pesquisa, essas cinco instituições. O índice de desconfiança de todas elas aumentou na comparação do primeiro semestre de 2012 para o mesmo período desse ano. No caso dos partidos políticos, o índice de desconfiança ficou em 1,2 ponto percentual. O do Congresso cresceu 2,6 pontos percentuais, o da Igreja Católica subiu 7,8 pontos percentuais e o das Forças Armadas, 9,9 pontos percentuais.

Desconfiança nas polícias

O professor da FGV Rafael Alcadipani afirma, em artigo no Anuário, que alguns fatores que contribuem para a desconfiança nas polícias são a baixa taxa de resolução dos crimes, a burocracia no atendimento ao cidadão e a imagem de violência que está associada às polícias, principalmente à Polícia Militar. "Vale lembrar que os constantes confrontos entre PMs e manifestantes que aconteceram neste ano terminaram por reforçar ainda mais a imagem de uma polícia truculenta" afirma Alcadipani.

Segundo a FGV-SP, Pernambuco é o estado em que as pessoas que procuraram a ajuda das polícias se mostraram mais insatisfeitas com o trabalho das corporações. Só 27% dos cidadãos que solicitaram apoio da PM no segundo trimestre de 2013 se disseram satisfeitas ou muito satisfeitas. O percentual foi de 25% para a Polícia Civil.


A Bahia é o estado em que houve maior índice de satisfação com a PM (54%) e com a Polícia Civil (50%). O Rio de Janeiro foi o estado com segundo melhor índice de satisfação da população com a Polícia Civil (43% ficaram satisfeitos). Já em relação à PM, o índice de satisfação ficou em 45%, o mesmo que no Amazonas. Estes dois estados só ficaram atrás da Bahia.

Um comentário:

Maria José F. de Aquino disse...

Eu assisto todos os noticiários de todas as emissoras só para escutar as críticas que eles fazem ao governo atual, então recorro a outras fontes que confio. Não dá para acreditar no que divulgam eles só acusam ao contrário aqui onde moro as pessoas estão na maioria não somente com o básico que possuem em uma casa, como TV, geladeira, mesa, cadeiras. Antigamente o pobre não tinha nem TV, bicicleta eu fui destas pessoas. Hoje além do computador a maioria das pessoas que passavam necessidade já possuem até transporte, alguns moto e carro.
Eu vejo isto como uma grande crescimento, para completar só falta a casa própria. Que acredito que com certeza se houver empenho no futuro só não terá sua casa própria quem não abrir mão de coisas tipo: lazer, viagens etc.
Passei a entender que os canais de televisão todos tem o seu candidato e com isso eles não admitem a realidade do Brasil de hoje. Nossa o Datena passa o programa todo falando do prefeito de São Paulo, com certeza qdo era o anterior prefeito isto não acontecia.