terça-feira, 20 de outubro de 2015

Sheherazade e o bandido amarrado no Porsche


:
Rachel Sheherazade não está mais na Jovem Pan, alegou razões pessoais para sair do ar.

pessoalmente acho que ela poderia também alegar razões políticas.

é que Rachel está desmoralizada.

a moçada percebeu que a loira, que se mostrava forte, valente e independente, não passa de uma boneca de ventriloquia.

sua verborragia odiosa, cheia de preconceito social e racial, é apenas uma encenação a serviço dos homens de bens e dos moralistas sem moral.
Shehera é só mais uma a fazer o jogo sujo da grande mídia, jogando gasolina na fogueira e tentando tocar fogo no país, alimentando haters com seu discurso odioso.

virou musa do impeachment.

o diabo é que Paulinho da Força melou o negócio e disse que essa de tentar o impeachment pelos jornais deu com os burros n'água.

foi por isso que Rachel resolveu tirar o seu cavalinho da chuva.

mas não só por isso.

Rachel está a ser cobrada nas redes sociais, diuturnamente, para dar sua versão odiosa para o caso Cunha.

é que ela andou a pregar a máxima de que bandido bom é bandido morto.

disse isso - como esquecer? - ao ver um jovem negro, nu, ser torturado impiedosamente, amarrado a um poste.

agora, ao ver Cunha amarradão em um Porsche, a loira nada diz.

Shehera é da escola de Rezende-Corta-Pra-Mim e de Datena, são os justiceiros midiáticos seletivos, os que incitam ódio contra os seus desafetos políticos e os pretos pobres.

mas calam-se quanto a Cunha, contra o qual as provas gritam. ela colou sua imagem à dele.

quando Cunha enviou proposta para a criação do Dia do Orgulho Hétero, Rachel foi correndo ao microfone da Pan, ventriloquamente, defender a ideia.

Cunha era o Malvado Preferido de Rachel. ela gostava de publicar vídeos com declarações do narigudo em sua página no Facebook, jactanciosamente.

agora, no dia 16 de outubro, no site da Pan, Rachel publicou uma defesa ao nobilíssimo deputado, o título escolhido para o artigo não podia ser mais sabujo e delirante: "Eduardo Cunha se tornou o boi de piranha perfeito".

ali ela diz: "Eduardo Cunha não é réu até que o inquérito se torne processo judicial, não é culpado, até que a Justiça diga o contrário. Por enquanto, o presidente da Câmara não passa de um investigado".

mas aí, o diabo apareceu para cobrar a fatura.
nos comentários, seus ex-fans se dizem decepcionados.

Angélica Moura, de Cataguases, desabafou: "tô chocada com a Raquel, pensei que era somente uma idealista... mas depois dessa vejo que ela é bem parcial..."

Leandro Sales foi mais comedido: "na boa Rachel Sheherazade sou seu fã há tempos! Mas você está forçando demais minimizando as acusações feitas a E. Cunha. Assim como vc disse no áudio, Cunha não é réu. Dilma Também não é. mas ambos tem tratamento diferenciado por você mesmo com as evidências dos últimos dias..."

como assim boi de piranha?, perguntavam leitores atônitos, o homem foi flagrado com a boca na botija, a Suíça enviou ao nosso Ministério Público documentos comprovando que Cunha movimentou quase meio bilhão de reais de forma espúria.

não são ilações de dedos duros torturados psicologicamente numa masmorra, há documentos, fotos, assinaturas, passaportes, extratos, tudo.

Cunha chegou à blasfêmia de transformar o nosso senhor Jesus Cristo em um laranja ponto com.

Cunha carregava uma Cruz, não nas costas, mas num Porsche.

em defesa de Cunha, Rachel parece querer dizer, aquele que nunca pecou que atire a primeira pedra.
como se vê, ela decidiu vazar para se defender das pedradas que surgem por todos os lados.

em verdade vos digo: deu o que tinha que dar, Rachel pediu para sair porque não tinha mais como ficar.

palavra da salvação.


Lelê Teles
Jornalista e publicitário. Roteirista do programa Estação Periferia (TV Brasil), apresentador do programa Coisa de Negro (Aperipê FM) e editor do blog FALA QUE EU DISCUTO

Um comentário:

Cesar Henrique de Oliveira disse...

Adora quando esses idiotas se dão mal , mas eu perguntaria para Raquel que vive falando mal do PT e de Dilma. - E ai Raquel no seu Cunha não vai nada? KKKKKKKKKKKKKKKKKKKK.